quarta-feira, 13 de agosto de 2008

Sopro


Você vem e me arranha. Mas eu aprendi a assoprar.
Mas talvez um dia o meu sopro não mais alivie a minha dor.
Talvez um dia, não tenha mais força pra assoprar.
Talvez um dia não exista mais vento.
Talvez um dia não me importe quem assopre.

Mas ainda hoje sinto um ardor.
Sinto a minha dor. Ainda sinto.
Seu arranhão pode acabar rasgando a minha pele.
Minha pele que tantos cremes passei.
Que tantos carinhos senti.

Ainda sangra.
Mas posso talvez não me importar com quanto sangue ainda hei derramar.
Sinto medo de um dia não me importar com a cicatriz que irá me deixar.

Um comentário:

francisco disse...

Oi, gostei muito do seu blog.

Parabéns!

Abraços